#11 - A IBÉRIA PELO NORTE / IBÉRIA BY NORTH

  
(read in english below)

Este roteiro é um aproveitamento de troços já aqui editados. Trata-se de mostrar um passeio com vários dias de duração e muito variado, incidindo principalmente nas paisagens naturais e na beleza destas terras.Vamos ligar as cidades do Porto e Barcelona, por estradas secundárias e pouco usuais.
É sem dúvida um dos roteiros mais belos da Europa ! A partida, como disse, é da  lindíssima cidade do Porto, primeiramente em direção à cidade da Régua. Nos primeiros kilometros aproveito a autoestrada A4 de onde sairei, depois de Penafiel em Recesinhos (para a N211) em direção a Marco de Canaveses ver /see map 1
Depois desço até ao Rio Douro, e em Ribadouro atravesso o rio para a margem sul, apanhando então à esquerda a espetacular N222 até à cidade da Régua. Andei já 125 kms, mais ou menos 2 horas e vou entrar na cidade para tomar um café.
Depois da Régua , volto um pouco atrás e atravesso a ponte (velha) novamente click p/ map 2 . Apanho então e novamente a N222 e disfruto de um percurso espantosamente bonito) Sigo então em direção a São João da Pesqueira, passando e continuando pela mesma estrada até sair à esquerda para N324 em direção a Freixo do Numão.
Muito perto de Freixo do Numão, aconselho a Visita às ruínas do Castelo Velho do Numão, (onde dediquei um capitulo do meu romance "1385, o Golpe dos Bastardos". Tratam-se de vestígios com mais de 4000 anos Castelo Velho do Numão da idade do Cobre ou do Bronze. A não perder. Goza as vistas e a calmaria e faz uma pausa!
Depois, seguindo a mesma estrada, para Norte, atravesso novamente
o Douro pela Barragem do Pocinho e viro logo a seguir para a direita , pela marginal em direção a Peredo dos Castelhanos, apanhando posteriormente a N325 que o ligará a Freixo de Espada à Cinta. (já no Parque Natural do Douro Internacional.
A partir daqui é seguir pela N221 até Miranda do Douro, contudo aconselho esporádicos desvios à direita a fim de espreitar o rio as suas arribas e albufeiras e, quem sabe, ver um Grifo (abutre) ou umas cegonhas pretas! Parque Natural do Douro Intn.
Passa Mogadouro, visita a sua Torre , e segue até Miranda. janta bem (será dificil jantares mal) e vai dormir às sossegadas  "Casas de campo do Cimo da Quinta".
Na manhã seguinte, depois de um belíssimo pequeno almoço, não deixes de ir visitar (a pé ou na moto)  ali mesmo ao lado São João das Arribas e a sua Ermida , pouco depois da Aldeia Nova, nas arribas do Douro. (ver foto)
e ... Disfruta!



Saí então de Pena Branca das casas de campo em direção a Norte, sempre junto da fronteira com Espanha. A terra aqui é brava, linda de morrer, ótimas paisagens e cheiros, melhor apreciados por quem anda só! A primeira terrriola é Ifanes (Infainç em Mirandês), aldeia no planalto, semi-deserta de gentes, que certamente já teve melhores dias! Depois São Martinho de Angueira, Quintana de Vale de Pena e outras; sempre pela N218-2, paralela à fronteira, passando o rio Maçãs e depois a aldeia do outeiro. com o seu  castelo  (ou o que dele resta, cuja reconstituição 3d podemos ver neste link) castelo 3d
O mapa deste roteiro pode ser visto aqui click mapa 3.
Segui para Bragança, sempre por esta estrada, por Milhão e Gimonde, onde encontrei o rio Sabor.
mosteiro de Castro Avelãs nos arredores de Bragança

Bragança  é imperdível, principalmente o seu castelo e cidadela (centro Histórico). Devemos parar e apreciá-lo demoradamente, beber uma mine ou uma água, ou até ficar para almoçar!
Aldeia de Rio Onor
Vou agora pela N308, novamente em direção a norte , onde passarei em Rio de Onor / Rihonor de Castilha, sim uma aldeia com os dois nomes, ou duas aldeias com o mesmo nome, já que parte é Castelhana e parte Portuguesa. (Velhos tempos do contrabando). A aldeia é lindíssima e vale uma paragem.
Este trajeto até Puebla é rápido, pelo que podemos sempre parar várias vezes, onde apetecer, tirar fotos e apreciar, não só as deslumbrantes paisagens, como as suas aldeias.
Depois é só seguir até Puebla de Sanábria, pela ZA-921, estrada estreita de asfalto, pelo planalto (continua abaixo)

We left Pena Branca from casas de campo towards the North, always close to the border with Spain. The land here is mad, drop-dead gorgeous, great scenery and smells, for those who walk alone! (continue below)
The first litle village is Ifanes (Infainç in Mirandês), village of the plain, semi-desert, which certainly has seen better days! After São Martinho of Angueira, Quintana de Vale da Pena , and others, always the N218-2, parallel to the border, passing the river Maças and after the village outeiro.. with its castelo 3d (or what remains of it, whose reconstituition 3D we can see in this link) . The map of this script can be viewed here click map 3. We continue to Bragança, always on this road, per Milhão and Gimonde, where we find the river Sabor. Bragança is a must, especially his castle (centro Histórico). we should stop and enjoy it at length, drinking a beer or water, or even stay for lunch! Let's now the N308, again toward the north, where we will pass in Rio de Onor / Rihonor de Castilha, a village with two names or two villages with  the same name, because part is Castilian and other part is Portuguese. (Old smuggling times). The village is beautiful and worth a stop.This journey to Puebla is fast, so we can always stop several times where you feel like, take pictures and enjoy not only the stunning scenery, as their villages and cities.Then is to follow up Puebla de Sanabria, the ZA-921, narrow asphalt road at plateau. I saw Puebla and before entering it, even went

Avistei Puebla e antes de entrar nela , ainda fui ver o lago, paisagem de sonho, mesmo ali ao lado (pela ZA-104).
Explorei um pouco esta bonita vila medieval, que no seu cimo os Pimentel construíram um excelente castelo, agora bem recuperado e com um espaço museológico que vale a pena ver. almocei, já em horário espanhol, razoavelmente bem, num dos sossegados restaurantes do centro histórico, do qual não me lembro o nome!
(continua em breve)


lago Sanábria lake


Em Sanábria, voltei a atestar o depósito e segui para Leon, mas não pela autoestrada, sim pela N525 e depois pela ZA125.





A estrada até La Bañeza roda-se a um bom ritmo! Piso bom, boa visibilidade e invulgarmente com pouco trânsito! Parei a meio do percurso em Muelas de los Caballeros, pequena localidade simpática, para tomar o meu segundo café do dia e descansar um bocado. Segui até Leon.
Em Leon vale a pena visitar a Catedral e a parte antiga da cidade, muito bonita e de arquitectura particular!

In Leon did not want to take too long. Just enough time to revisit the Cathedral and the old town, very beautiful and particular architecture! I took the opportunity to stretch your legs for half an hour. I wanted to go through the Gorge Los Beyos with good daylight to shoot!I lost some time to leave the city (in these occasions It´s good have GPS !).Now he is preparing me for the most interesting part of the trip. But just from Boñar the route begins to excite! And so I followed trip to Riaño.In Riaño I did not lose much time. Only I took some pictures. On returning back to go there. My priority was still the gorge!I continued to Oseja of Sajambre, entrance to the De Los Beyos gorge. 





     ver mapa 6





    Deep gorges - in some places with 1500 meters deep - was dug by the river Sella.
    A garganta profunda – em locais com 1500 metros de profundidade – foi escavada pelo rio Sella.


O objectivo agora era chegar a Cangas de Onis como final de etapa e pernoitar no parque de campismo!

It was worth it, but the aim now was to reach Cangas de Onis as the final step and stay overnight at the campsite!


A Famosa ponte romana de Cangas com a sua cruz da Vitória
The Famous Roman bridge in Cangas with its cross Victory






Finalmente em Cangas, dei como final o dia de viagem. Montei a tenda, tomei um duche e vesti uma roupa para ir jantar.
Conhecia um restaurante muito bom em churrascos, La Ronda. Mas para azar meu, esse era o dia de descanso semanal! Aconselharam-me um outro, que me satisfez, El Campanu - sidreria e marisqueira. Jantei uns medalhões de porco asturiano estufado com pimentos…e fui dormir oito horas seguidas, pouco comum em mim! 

Finally in Cangas, given how late the first day of travel. I set up the tent, took a shower and put on some clothes to go to dinner. It was then that I remembered I had been all day without a meal!I knew a very good restaurant in barbecues, La Ronda. But for my bad luck, that was the day of rest! They advised me another, that satisfied me, El Campanu - sidreria and seafood restaurant. I had dinner one Asturian stewed pork medallions with peppers ... and I sleep eight hours straight, unusual for me!


outro dia. (em construção)
Acordei bem-disposto. Preparei-me para a viagem. Dei uma volta rápida por Cangas de Onis, vila indicada para diversas actividades radicais! 
apanhei a mesma estrada (N625) andando para traz alguns kilometros até apanhar a LE244 paralela ao rio torto.

                                                                            



Sigo em direcção a Potes, percorrendo outra estrada que estava nos meus planos,.




another day.
 I woke up in a good mood. I prepared myself for the journey. I took a quick turn for Cangas de Onis, village suitable for various radical activities!Follow towards Lanes. I wanted to go this part of the Cantabrian to St. Vincent de La Barquera and then re-enter the Natural Park.Lanes and its marina Arrival in São Vicente de la Barquera One of São Vicente beaches of La Barquera this region, so are the landscapes!Back at the Natural Park, follow towards Potes, covering another road that was in my plans, the gorge La Hermida.

Em Potes, paro para tomar um café e comer uma “gravata”, doce típico da região com formato de laço de smoking, aos quais eles chamam de “gravatas”! Aproveito e tiro umas fotos à vila.



















































Sem comentários:

Enviar um comentário