#13 PELO PARQUE DA PENEDA-GERÊS - THROUGH NATIONAL PARK PENEDA-GERÊS

 
Começo este roteiro, de manha cedo, em Rio Caldo,No Gerês, mais concretamente do local de entre-pontes, sobre a linda albufeira da Caniçada. Subi então em direção a São Bento, local piroso de romagem católica, arquitectura duvidosa e muito pouco interessante, excepto para os romeiros, claro. Nem vale a pena parar! o meu objetivo é percorrer estas estradas e estradões de invulgar beleza e sossego. Aconselho para tal as épocas mais mortas; no Outono por exemplo, onde a vegetação se torna de um colorido de uma beleza indescritível, ou mesmo, no inverno, observando picos nevados e curtindo o gélido ar na face. De São Bento continuo a subida, (pela estrada da foto acima, N304 e N307) até Campo do Gerês, ver mapa 1/see map 1 onde tomo um cafézinho. Sigo então pela florestal M533 em direção à Vila do Gerês, que dista uns 15kms e que demoro mais de 45 minutos a percorrer, tal a solicitação de fotos que a paisagem e as vistas requerem... Aconselho algum cuidado neste caminho, devido à sua estreiteza, falta de visibilidade nas curvas, e ravinas! (continua abaixo...)
 click to read more

Beginning this route early morning in "Rio Caldo", specifically in the middle of the two bridges over the beautiful Caniçada lake. So I climbed toward São Bento catholic place of pilgrimage, with dubious architecture and very little interest (except, of course, for the pilgrims). Of course not worth stopping! my goal is to go through secundary roads and some dirt roads of unusual beauty and quietude. I advise to do so the more low seasons, autumn for example, where the vegetation becomes a colorful and indescribable beauty, or even winter, watching snowy peaks and enjoying the cold air on the face. From São Bento I continue to rise the road of this picture above, (N304 and N307) to Campo do Geres, see map 1 where I take a coffee. Then follow the M533 forest road toward the Vila do Gerês, which is distant about 15kms and it takes me more than 45 minutes to go, such a request of photographs that the landscape and views require ... I advise some caution in this way due to its narrowness , lack of visibility on curves and some dangerous ravines! (cont ...)


 Na Vila/Termas do Gerês, entro e saio sem desmontar, dando uma pequena vista de olhos, ansioso por pegar a subida até à fronteira de Portela do Homem. Estou, desde Campo do Gerês, em pleno Parque Nacional, cuja paisagem e natureza deslumbra. Esta subida até à fronteira pela N308-1 é, a par da M533, uma das mais belas estradas que conheço. Merece inúmeras paragens, aqui e ali, ora numa cascata ou num miradouro, ora para apreciar a intensa vida selvagem, maioritariamente representada por aves e garranos (pequenos cavalos). No bar da Fronteira tomo um refresco e opto por voltar para trás, passando de novo a ponte sobre o Rio Homem e cortando logo depois à direita para um estradão de terra batida que acompanhará a descida do mesmo rio e depois a maravilhosa e solitária albufeira de Vilarinho das Furnas. Não estranhe se em certas épocas, ditas altas, lhe cobrarem uma portagem neste troço; Pague, vale a pena. 
continua abaixo...

ver mapa novamente 1 / see map 1 again 

In the Village of Geres, I enter and leave only giving a look, eager to pick up the ascent to the border of Portela do Homem. I am, from Campo do Gerês, inside the National Park, whose landscape and nature dazzles. This rise to the border by the N308-1 is, alongside the M533, one of the most beautiful roads I know. It deserves numerous stops here and there, sometimes in a cascade or a gazebo, now to enjoy the intense wildlife, mostly represented by birds and "garranos" (small horses). In the border bar I take a drink and I choose to go back, passing again the bridge over the River Homem and cutting right then right onto a dirt dirt road which will follow the same river descent and then the wonderful and lonely bayou Vilarinho das Furnas. Do not be surprised if at certain times, said high, to charge you a toll on this section. Pay, it is worth. Let's take again the N307 where we stopped on the dam wall, excellent work of the Portuguese engineering, whose height scares and whose views dazzle.  
Soon I'll post the continuation of this script ... there!
(more photos below - mais fotos abaixo )
going down M533

going down M533

going down M533

albufeira Vilarinho das Furnas lake
Vou dar de novo à N307 onde paro em cima do paredão da barragem, excelente obra da engenharia portuguesa, cuja altura assusta e cujas vistas deslumbram. Para chegar a esta barragem percorri, com algum cuidado um espantoso estradão em terra batida, que aconselho a todos ... (acessível a qualquer tipo de moto ou bicicleta, mas não aconselhável a motorhomes.) Pela direita acompanha-me a calma albufeira. A partir da Barragem sigo o roteiro do Ver mapa 2 / see map 2, (onde pode também ver no post "#2 Rota das Barragens" deste blogue parte deste percurso). 
Subo então a estreita  e  bem alcatroada M1149, passando Brufe, onde há um bom restaurante, mas  parando antes duas ou três vezes para apreciar as vistas (foto) onde a enorme barragem de Vilarinho fica a parecer uma miniatura.

Esta estrada tem o dom de maravilhar qualquer um, e, quando se pensa que já se viu tudo, espanto-me com a espetacular descida de Germil,(parte dela em granito) já na CM1348!
descida antes de Germil - Before Germil

descida depois de Germil - after Germil
 Pelo caminho vou deixando para trás algumas manadas de Garranos, pequenas quedas de água e o silêncio destas paragens. (Experimente descer com a moto desligada e sem capacete)ouvindo apenas a natureza!
 Sigo agora até Entre-ambos-os-Rios, pela tal municipal 1348. Visito a paisagem e tiro mais umas fotos. Na península em frente existe um excelente camping com bungalows!
Opto por, desta vez, virar à esquerda (à direita podem ver no "#2 Rota das Barragens" deste blogue) na N203, em direção a Ponte da Barca, e depois à vila dita "mais antiga de Portugal, Ponte de Lima, onde almoço tarde e excelentemente bem num dos muitos restaurantes existentes, o qual, lamentavelmente, não apontei o nome. (nota: o mapa aponta o IC28, contudo optei por seguir pela Nacional 203).
Ponte de Lima, para quem não conhece, merece uma boa visita a pé, principalmente pelas suas ruelas do centro.
A partir de Ponte de Lima sigo novo Rumo, por Bertiandos, pelas lagoas e Serra de Arga, que postarei no próximo capítulo #14.
disfrutem... 



 

 

Sem comentários:

Enviar um comentário